Glossário de fotografia

Ainda em produção.

Introdução

Esta é uma tentativa de sistematizar uma série de conceitos aplicados à fotografia, visando facilitar a vida de professores, técnicos e alunos. A lista foi criada no meu tempo livre, a partir dos conceitos que procurei transmitir nos cursos de fotografia com alunos iniciantes, e aos poucos foi sendo aprimorada a partir de diversas pesquisas. Não se trata de um texto definitivo ou completo sobre o tema, muito mais complexo e abrangente do que exposto aqui. Também não é uma lista fechada, sendo revisitada ao longo do tempo. É mais uma lista de apoio para futuras experiências didáticas que está sendo compartilhada para poder ser a para professores, técnicos e estudantes.

Introdução
Mecânica / equipamentos
  ISO
  Diafragma
  Obturador
  Disparador
  Fotômetro
  Câmera
  Compensação de exposição
  Pin-hole
  Objetiva
  Macro
  Distância focal
Estética
  Profundidade de campo
  Silhueta
  Regra dos terços
  Foco
  Ponto de fuga
  Plongée
  Contra-plongée
  Enquadramento dentro do enquadramento
Luz
  Luz natural
  Luz artificial
  Luz ambiente
  Luz dura
  Luz suave
  Contraluz
  Difusor

Mecânica / equipamentos

ISO

Indicador de sensibilidade do sensor da câmera (ou do filme). Quanto maior o número, mais luz será captada. O indicador geralmente se inicia no 100 e pode chegar a 6400, 12800 ou ainda mais, dependendo da capacidade da câmera. ISO muito alto gera ruído na imagem captada.

Diafragma

Mecanismo presente na lente da câmera que, ao critério do fotógrafo, pode ser mais fechado ou aberto, desde que a câmera tenha ajustes manuais. Diferentemente do obturador, o diafragma não se altera quando o disparador da câmera é acionado -- ou seja: definida sua abertura pelo fotográfo, ele não se move com o clique da câmera. Quando muito aberto, o diafragma reduz a profundidade de campo, quando muito fechado, a aumenta.

Esquema de diafragma. Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Diaphragme_Photo.svg

Obturador

Mecanismo presente no corpo das câmeras que, grosso modo, se abre e fecha quando o disparador é acionado. A velocidade com a qual se move pode ser definida pelo fotógrafo nas câmeras com ajuste manual. Quando acionado em velocidade mais lenta, permite que a imagem crie um borrão de movimento. Inversamente, quando acionado em velocidade mais rápida, cria a sensação de congelar o movimento.

Disparador

Botão que, quando acionado, induz à abertura do obturador para a escrita da luz no sensor. É o botão que faz o clique na câmera. Existem disparadores externos, que, quando plugados na câmera, permitem que o fotógrafo acione o obturador à distância, sem correr o risco de tremer a imagem, ou mantenha o obturador aberto por tempos maiores.

Fotômetro

Mecanismo, geralmente embutido nas câmeras (em alguns casos, é outro equipamento independente), que auxilia o fotógrafo na medição da luz. Com base no fotômetro, o fotógrafo define as configurações de diafragma, ISO e obturador a fim de se obter a escrita da luz.

Câmera

Equipamento básico da fotografia, é uma caixa escura totalmente vedada onde fica um filme fotográfico ou um sensor digital sensível à luz. A entrada de luz acontece apenas por opção do fotógrafo, a partir da abertura do obturador.

Câmera DSLR

A sigla DSLR em inglês significa Digital Single-Lens Reflex, algo como reflexiva digital de lente única. É composta por um espelho que reflete a imagem captada pela lente para o visor, onde o fotógrafo enquadra a cena que deseja registrar. As câmeras analógicas deste tipo são conhecidas apenas como SLR.

Mirrorless

Conceito criado mais recente para câmeras digitais que não tem espelho e cujo controle de enquadramento é feito exclusivamente pelo visor digital.

Compensação de exposição

Mecanismo, geralmente presente em câmeras com fotometria automática, que permite ao fotógrafo manipular o equipamento para que entre menos ou mais luz no sensor. A partir do momento em que o equipamento escolhe as configurações de obturador, diafragma e ISO, a compensação de exposição altera esses elementos para corrigir possíveis distorções da interpretação automática da luz.

Pin-hole

Do inglês, "buraco da agulha". Tipo de câmera rudimentar, feita com uma caixa, lata ou algo similar, completamente vedada, em que um pequeno furo é fechado por uma fita adesiva, que faz as vezes de obturador. Dentro da câmera, vai um papel fotográfico, sensibilizado ao gosto do operador, conforme o tempo de abertura do buraco.

Objetiva

Conjunto de lentes óticas que direciona a luz até o sensor da câmera, provocando o enquadramento, o foco e outras condições ao gosto do fotógrafo. Apesar de tecnicamente ser um conjunto de lentes, a objetiva é conhecida popular e comercialmente como lente, no singular.

Objetiva normal

É a lente cuja distância angular -- no caso, de 50mm -- produz fotografias que correspondem aproximadamente ao modo como o olho humano as enxerga (nas câmeras de 35mm ou full frame).

Lente intercambiável

É o tipo de lente que pode ser acoplada e removida do corpo da câmera. Celulares e câmeras digitais compactas (mais simples) não oferecem essa possibilidade.

Macro

Denominação dada à capacidade da lente de focar objetos muito próximos da câmera.

Distância focal

Medida da distância entre o ponto onde se forma o foco e o sensor da câmera. Quanto maior a distância focal, maior a capacidade da foto de se aproximar de um objeto que está longe. Quanto menor, maior a abrangência de objetos ao redor da câmera exibida na fotografia.

Superexposição

Um objeto, uma imagem ou uma área da imagem está superexposta quando a quantidade de luz escrita no sensor ou filme está acima do indicado pelo fotômetro, tornando a área mais clara, o que pode acontecer intencionalmente ou não.

Subexposição

De forma oposta à superexposição, um objeto ou uma área da imagem está subexposta quando a luz escrita no sensor está abaixo da indicação do fotômetro, tornando o trecho da imagem mais escuro. A subexposição é usada, por exemplo, em fotografias de silhueta.

Estética

Profundidade de campo

Pode-se dizer que é o nível de precisão do foco em que se encontra o objeto ou assunto fotografado. Quanto maior a profundidade de campo, mais objetos estarão no foco em sua fotografia. De forma inversa, quanto menor a profundidade de campo, menos elementos estarão em foco.

Silhueta

Tipo de fotografia em que o objeto ou assunto está subexposto e há contraluz. É muito comum em fotografias ao por-do-sol.

Regra dos terços

Trata-se de uma convenção de enquadramento, segundo a qual objetos geram fotografias mais bonitas se deslocados para um dos terços do quadro, evitando, portanto, a centralização. Em outras palavras, o fotógrafo deve dividir o quadro em três partes (câmeras digitais fornecem esta opção) e posicionar os objetos verticalmente ou horizontalmente no primeiro ou terceiro quadro.

Foco

Na física, é onde convergem os raios luminosos. Lentes óticas alteram direção da luz e promovem a convergência dos raios em um determinado ponto. Quando os raios rebatidos em um determinado objeto convergem precisamente no sensor, este fica no foco da imagem.

Ponto de fuga

Ponto de uma imagem para o qual convergem em perspectiva as linhas da paisagem, por exemplo, linhas dos andares do prédio ou dos degraus de uma escada. Quando o ponto de fuga é posicionado exatamente centro da fotografia, o fotógrafo cria uma imagem simétrica.

Plongée

Do francês, "mergulho". Tipo de posicionamento da câmera em que o objeto ou assunto a ser fotografado encontra-se abaixo do fotógrafo, provocando uma angulação em que a câmera "olha para baixo". Quando uma pessoa é fotografada neste enquadramento, geralmente provoca-se a sensação de inferioridade ou opressão. Conceito mais usado no cinema.

Contra-plongée

O oposto do plongée. Causa a sensação de superioridade quando uma pessoa é fotografada com esta angulação.

Enquadramento dentro do enquadramento

Aparece quando, numa fotografia, há um objeto em especial enquadrado em outra moldura que não a da própria fotografia, como uma janela, uma grade ou um corrimão.

Dupla Exposição

É o tipo de fotografia em que duas imagens são registradas no mesmo fotograma, incidindo uma sobre a outra e provocando um efeito estético intencional por parte do fotógrafo. Nas câmeras analógicas, é porrível criar uma imagem com dupla exposição fotografando duas vezes sem rodar o filme. Nos modelos digitais, é possível apenas com uso de programas de edição de imagens.

Longa exposição

É o tipo de imagem em que o obturador permanece aberto por longos períodos de tempo, sob o comando do fotógrafo, para registrar imagens em locais de baixa luminosidade ou gerar efeitos específicos, como o light painting..

Textura

Interpretação das características das superfícies fotografadas. É mais visível quando a luz incidente sobre o objeto (uma parede ou uma mesa, por exemplo), vem de uma das laterais, provocando uma sensação de rugosidade.

Luz

Luz natural

É a luz que encontramos na natureza. A principal é a luz do sol, mas outros exemplos de luzes naturais são as estrelas ou a luz rebatida pela lua.

Luz artificial

É a luz gerada intencionalmente pelo fotógrafo para intervir sobre o assunto ou objeto que quer fotografar. É o que se usa, por exemplo, em estúdios fechados de fotografia.

Luz ambiente

É a luz usada pelo fotográfo, sem alteração, quando registra um assunto ou objeto. Pode ser composta tanto por luzes elétricas quanto luz natural. Numa casa, por exemplo, tanto a luz do sol que entra por uma janela quanto a gerada por uma televisão são luzes ambientes, desde que estejam postas independentemente da intenção do fotógrafo, que apenas a registra.

Luz dura

É o tipo de luz em que as áreas de sombra e luminosidade são bem delimitadas. É gerada por fontes de luz distantes e/ou pequenas em relação ao objeto.

Luz suave

Tipo de luz em que as sombras e áreas de luminosidade não são bem definidas, gerando imagens mais harmônicas ou confortáveis ao olho humano. É gerada por fontes de luz grandes e próximas em relação ao objeto. Uma luz suave também pode ser obtida por meio de um difusor ou pelo rebatimento de uma fonte de luz.

Contraluz

Posicionamento da fonte de luz atrás do objeto ou assunto a ser fotografado, de forma que a luz incida diretamente sobre a lente da câmera.

Difusor

Anteparo translúcido posicionado entre uma fonte de luz e um objeto ou assunto a ser fotografado, de forma a suavizar a luz incidente. Um exemplo clássico de difusores naturais são as nuvens, que suavizam a luz do sol e tornam os dias nublados especiais para ensaios ao ar livre.

Referências pesquisadas

Guia completo de fotografia, de John Hedgecoe. Editora Martins Fontes, 1996.
Manual prático de fotografia digital, de Eduardo Moraz. Digerati Bookz, 2008.